Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Coisas Boas de Contar

"ao escrever sei esclarecer tudo, os meus pensamentos, os meus ideais, as minhas fantasias." Anne Frank

Coisas Boas de Contar

"ao escrever sei esclarecer tudo, os meus pensamentos, os meus ideais, as minhas fantasias." Anne Frank

Ter | 25.06.19

O Regresso às Origens

Contei

Quando os meus pais resolveram largar o Norte, não viemos logo para Lisboa. Ainda moramos um aninho entre a Foz do Arelho e as Caldas da Rainha (adorava aquela praia e as outras da zona - Baleal, Consolação...)! Não me recordo de muito sobre essa mudança, apenas que eles vieram primeiro e quando me foram buscar consegui fazer uma viagem de 6 horas sempre a chorar (por incrível que pareça tenho lembranças dessa viagem)!

 

Mas quem tem terra e ainda familiares por lá, acaba sempre por voltar. A minha avó, que ainda é viva, era a minha melhor amiga no verão (ainda é). Mal acabavam as aulas e eu zarpava rumo à Aldeia! Eram 3 meses entre andar de bicicleta (cheguei a perder-me no monte), ver televisão (os desenhos animados e o "Escolha você" - Kit, Esquadrão classe A, Macgyver e não me lembro do outro), Música (a minha avó tinha um rádio velho na casa de baixo... servia de banda sonora às minhas brincadeiras - desenhar acima de tudo), ler ("Uma aventura" e o "Clube das Amigas"), piscina (Vila Flor - só precisava de boleia mas havia sempre o primo do primo da prima que mora para lá do sol posto), rio (Tua ou Sabor - o pior eram os peixinhos) e à noite dava uma voltinha pela Aldeia!!! Nada de especial, mas sabia realmente a férias e fazia-me transbordar de felicidade!

 

Com o tempo fui fazendo amigos e ficando mais velha (não perdoa o tempo)! Passei a ter um grupo, todos mais ou menos das mesmas idades! Juntávamo-nos atrás da igreja aos rebanhos de 20 ou mais. Entre o pessoal que lá morava (que hoje estão para fora ou em grandes cidades do país), emigrantes, pessoal de férias fazíamos a festa!!! Quando os meus pais chegavam - para a festa (todas as terriolas têm uma festa - onde no Domingo há a procissão e a vestimenta deve ser nova) - é que descambava! Largava a casinha da minha avó e lá ia eu para a nossa!!! As miúdas (4 ou 5) comíamos em casa umas das outras, dormíamos à molhada (as gajas, claro), nunca parávamos em casa... levávamos os discmans connosco, ou walkman ou mais tarde os telemóveis e o tabaco e ninguém nos apanhava!!! Apanhávamos banhos de sol nos quinteiros, banhos de mangueira... a rédea era longa e podíamos chegar tarde... afinal, nada se passava na Aldeia!!!

 

Este fim de semana foi um reavivar de memórias. A aldeia está mais vazia e um pouco diferente, mas há "coisas" que permanecem iguais! Levei a minha filha! Agora com quase 3 anos, a perceção da bisavó e da situação em si já é completamente diferente! Andou de mota, passeou pela aldeia, andou descalça, dançou na festa, comeu gelados... conheceu algumas pessoas (tudo primos - é tudo primo lá em cima). Estava radiante e cansada de tanta algazarra!!!!

 

Eu aproveitei para ler, andar de bicicleta (aquele vento na cara... aqueles lugares... foi fantástico...), andei de mota (com o meu pai a conduzir, claro), fui até à Piscina... uma noite até ao santuário... vê-se a aldeia toda... corre uma brisa... é tão pacato e pacifico!!!

 

Enfim... no meu caso esta aldeia deixa muitas saudades... há realmente lugares que nos marcam...

IMG_3181.jpg

1 comentário

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.