Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Coisas Boas de Contar

"ao escrever sei esclarecer tudo, os meus pensamentos, os meus ideais, as minhas fantasias." Anne Frank

Coisas Boas de Contar

"ao escrever sei esclarecer tudo, os meus pensamentos, os meus ideais, as minhas fantasias." Anne Frank

Seg | 29.04.19

O Início e o Fim das Férias

Contei

Não há como entender este tema das férias. Parece que demora uma eternidade até chegar a altura de irmos e se, fecharmos os olhos e, contarmos uns três segundos acabaram.

Não sei se passam rápido porque haver tanto que fazer, organizar e ver, se quem inventou este "conceito" de férias (e é só um conceito, principalmente após a maternidade, acreditem), lançou uns pós mágicos de aceleração dos minutos...

Certo que fiz algumas coisas como recuperar horas de sono (para quem acorda às 6h dormir até às 8h é recuperar algum brilho na pele), andar de bicicleta (estava parada desde 1714), justificar o pagamento mensal do ginásio (que me ando a baldar, como fazia com a última aula de sexta-feira no secundário... exactamente sem remorsos), armar-me em Marie Kondo lá de casa (só temos ideia da tralha que existe quando começamos a mexer), encomendar móveis (Sofá... comprei gato por lebre (mas paguei lebre... e de ouro) e agora olhem... tenho de trocar. E ainda há quem se pergunte porque foi certa empresa de móveis à falência)! Uma despedida de Solteiro pelo meio, uma visita a casa de uns amigos que compraram casa, uma massagem de relaxamento (muitoooo boa e curta) e "Puff" estava na hora de preparar tudo para o infantário e para o trabalho... tinha chegado o raio do Domingo!

Enfim, ficamos a aguardar as próximas, que são dentro de uma eternidade!

 

Seg | 29.04.19

As Músicas da Minha Vida

Contei

Falamos sempre de momentos e pessoas que nos marcam... aqueles minutos, horas, dias, semanas onde algo de mágico, único e importante aconteceu... aqueles seres humanos que, independentemente da tua relação actual com eles, te moldaram de alguma forma! Sim! Esses momentos e essas pessoas contribuíram de certa forma para aquilo que somos hoje! Tenham sido momentos mais ou menos positivos de certo foram uma aprendizagem!

Associo grande parte dos momentos ou pessoas que mais me marcaram a musicas... aliás... acho que a música tem um papel primordial na minha vida! Não só pela companhia em momentos normais do dia-a-dia (ir para o trabalho) como em pequenas tarefas (arrumar a casa)... mas acima de tudo porque, muitas delas, são uma espécie de pensamentos quase certeiros do que gostarias de dizer e não consegues ou do que estás a sentir! Costumam dizer que sabemos que estamos apaixonados quando todas as letras das musicas fazem sentido... bem... então acho que estou sempre apaixonada... se não for por alguém terá de ser por alguma coisa!

Na minha juventude (não que seja velha) ainda sem estilo de musica, devidamente escolhido, dei por mim numa onda meio romântica e meio pop que de certa forma me faz lembrar muito os verões passados no norte! “Whole Again”- Atomic Kitten é sem sombra de duvidas a música que me faz lembrar um dos melhores verões da minha vida, com direito a paixoneta e tudo!!! 14 anos? Acho que sim! “I’m like a bird” da Nelly Furtado faz-me lembrar o Europeu!!! Claro!!! Mas também um acreditar de que realmente poderia ser o que quisesse!!! Entrada da faculdade (e partes do verão no norte)! Red Hot marcou o meu primeiro namoro a sério! Foram uma companhia de troca de escola, do verão em que conheci o tal namorado, de novas amizades... seria penoso enumerar todas as músicas deles que me dizem algo!!! Depois disto vieram talvez Queen e da Weasel para me fazer acordar!!! O que começa mal acaba mal e o que condenado está assim ficará!!! Buuuu!!! Aconteceu assim porque tinha de ser assim! Se tivéssemos sido diferentes... teria sido diferente (olha a redundância)! “Feel Good” dos Gorillaz entrou já no meu primeiro trabalho!!! Era a música que ouvíamos no carro!!! Daniel John Bedingfield cativou-me com a “If you’re not the one” quando me apaixonei por um colega de trabalho que tinha namorada! Com tantos gajos livres... não... tinha de ser este! Vejam a letra e lá me entendem!!!

No meio disto ou depois disto ou algures entre isto tive pequenos “crushes” por alguns sons de Jason Mraz, Kings of Leon, The Script, Alanis, Smashing Pumpkins, Nirvana, Puddle of Mudd, Sistem of a Down... e tantos outros... (e acreditem que se perguntarem sei a que pessoas ou momentos os ligar)! Mas a verdade é que desde que vi o Chris Martin cantar a “Yellow”, ao longo da praia (que raio de videoclip mais piroso), no TOP MAIS (sim sou desse tempo), fiquei fã! Acompanharam-me nos meus verões, nos meus namoros, nas minhas alegrias, nas minhas tristezas, nas minhas aprendizagens, nas minhas vitórias, nos momentos de festa, nos momentos de silêncio... estão em vários cds, em vários vídeos... ainda hoje os “Coldplay” são aquela banda...

Prometo um “musicas da minha vida”, parte II (sim não ficamos por aqui) mas para já deixo um alerta!!! “Trouble” é aquela música... deprimente que adorooooo!

Sab | 27.04.19

The Sinner

Contei

78EDC5AA-DF3E-4D3A-8EA8-E04270778ADC.jpeg

 

Ok!!! Eu explico como é que uma mãe tem tempo para ver tanta série num intervalo de tempo tão curto! Primeiro, a Netflix facilitou o trabalho! Séries de 1 temporada ou com 6 a 8 episódios... quase se vê numa noite! Porém o factor férias também ajuda!

The Sinner tem 2 temporadas, apenas vi a primeira a 2a (segundo 1 pessoa que já viu - é uma caca!!! Baseado na quantidade de críticas negativas e na pessoa em questão... vou arriscar em ver 🙂).

Agora o que interessa: a série em questão relata um acontecimento dramático, num dia normal, passado em família. Em plena praia, sem motivo aparente, uma mulher ataca um jovem no meio da praia! 7 facadas ditam a morte do mesmo e o início de uma investigação! Se parecia, inicialmente, um ataque insano agarrem-se à cadeira, pois mistério e drama não faltam por trás deste crime. Grande desempenho de Bill Pullman e Jessica Biel que penso serem caras familiares para a maioria! 

Do meu ponto de vista é uma série que vale a pena ver!!!

Sex | 26.04.19

5 Ingredientes Jamie Oliver

Contei

Mal apanhei um episódio da série na televisão, fiquei fã!!! Como já mencionei gosto de programas e séries de culinária!!! Gosto ainda mais do Jamie Oliver pela sua simplicidade e rapidez! Para quem acorda cedo, vai trabalhar (depois de toda a logística matinal de ser mãe) e regressa no fim do dia (preparada para toda a logística nocturna de ser mãe)... receitas rápidas, com 5 ingredientes, para o jantar (ou outra refeição) é quase como uma oferenda irrecusável! Já tinha feito uma ou outra receita dos episódios gravados mas há muito tempo que andava a namorar o livro!!! Hoje lá o consegui visualizar na íntegra (sim, há que tentar perceber se os ingredientes usados são fáceis de comprar por cá! Caso contrário não adianta de muito)! Tem pratos só de legumes, frango, porco, peixe, novilho, borrego e até doces!!! Amanhã já vou arrancar com uma das receitas dele!!! 

Sex | 26.04.19

Momentos Zen

Contei

0B7A1190-CFAB-47F5-9369-52022E4729A7.jpegDevo confessar que estava mesmo a precisar!!! Tem acontecido tanta coisa na minha pequena vida... entre ter o coração em modo espetada de galinha e o cérebro em papas de aveia... 1hora de cabeça enterrada numa marquesa, com música de fundo, óleos e massagens foi um momento cheesecake para todo o corpo!!!

O ambiente descontraído, as velas aromáticas, o quentinho da sala e até o próprio cheiro era convidativo a um momento completamente Zen!!! Costas, ombros, pernas, braços, pescoço , nuca e cara... tudo bem oleado e massajado... o único problema?! Ter terminado!

 

Qui | 25.04.19

Cuscuz

Contei

90E5D49F-E72F-40D3-B111-9E60EC30CB5A.jpeg

Não sei muito bem o que me atraiu no pacote do cuscuz! Talvez o querer em algum momento, do mês ou do ano, ser diferente ou saudável ou apenas deixar o pacote passar do prazo como, volta e meia, já aconteceu a alguns produtos que em tempos comprei pela sua “originalidade”!

A verdade é que sou fã de culinária e adoro inventar! Viva as experiências culinárias a 3, as temáticas entre amigos, o Jamie Oliver e o MasterChefe!!!! Adoro comida indiana mas não acerto com facilidade... mexicana é boa e fácil de fazer... a italiana é quase uma segunda família!!! Depois e pontualmente há um ou outro prato espanhol, francês, grego ou assim que me faz babar!!!

Seja como for, hoje sentia-me inspirada... pelos yammiguitos (comunidade da abençoada máquina do continente -  Yammi!)! Segui a receita à risca e o cuscuz não ficou feito!!! Enfim... tive de acrescentar água e meter no microondas mais uns minutos... os italianos teriam ficado contentes pois estava tipo “Al dente” mas o cuscuz é algo típico de África (pelo menos assim li) pelo que não devia ter ficado assim!

O que conta é o resultado final e ficou maravilhoso! Só não misturei o milho porque a minha filha não é fã (infelizmente também não é de pimentos mas descobri um pouco tarde)! Fiz uma pequena cama para mim e coloquei o preparado por cima!  

Acho que vou passar a incluir com mais frequência nas minhas compras (mas um cuscuz mais fino... acho que foi esse o motivo de não ter cozinhado à primeira)! Seja como for,  Delicioso e fiz o prato em 15 minutos!

1. Fazer o cuscuz - receita no pacote;

2. Refogar 70g de bacon com 250g de carne (usei frango) em 20 ml de azeite, devidamente temperados com sal e pimenta - cerca de 5 a 8 minutos;

3. Cortar meio pimento verde e vermelho em quadradinhos muito pequeninos;

4. 120g de milho de lata;

No final misturar tudo!!! 

 

Qui | 25.04.19

Quicksand Netflix

Contei

457524AC-9D86-4E85-944C-9A3923CC829D.png

É uma série sueca que relata uma tragédia, numa sala de aula, de uma escola nos subúrbios de Estocolmo. Maja Noberg é uma estudante normal que se vê acusada de assassinato. A série decorre, toda, em torno da prisão e julgamento da mesma. São os interrogatórios, ao longo dos 6 episódios que nos vão dar os detalhes mais privados das suas amizades, modo de vida, família mas acima de tudo da sua relação com Sebastian Fagerman. Não é a série que mais gostei, até porque achei que teria um final diferente... não fui surpreendida... mas do ponto de vista de análise é interessante. Falamos de famílias de estatuto social acima da média, do seu estilo de vida, do preconceito perante os que não se enquadram nestes padrões... bom, pressão social e de pares, drogas, sexo, álcool, falta de uma participação, activa, dos pais, nos vários ambientes sociais frequentados pelos filhos, o poder dos media e dos que nos rodeiam nas nossas próprias percepções e memórias...

Acho que merece ser vista!

Pág. 1/2